4 motivos para fazer compostagem em casa


Fonte: Getty Images


Há tantos benefícios que a compostagem caseira pode trazer que eleger QUATRO motivos foi bem difícil. Aqui, vou te mostrar quais são eles. Além de ser fácil fazer, ter uma composteira em casa é muito útil.


Porém, antes de mais nada, você sabe o que é uma compostagem?


A compostagem é um processo biológico de valorização da matéria orgânica , ou seja, um processo de reciclagem de restos de alimentos que pode ser feita de várias formas, seja elas no nível industrial, agrícola ou doméstico.

Para que isso possa acontecer é necessário que esta seja processada por algum microorganismo, como fungos ou bactérias, que irão transformar toda esse material em húmus, um material rico em nutrientes, sendo este um primeiro motivo para fazer compostagem em casa:


1. Adubo natural para plantas


O húmus, também chamado de chorume, produzido pela compostagem é um excelente adubo e fertilizante para as plantas. Ele pode tanto ser utilizado em hortas como em vasos. Como se trata de um líquido concentrado é recomendado diluir em água antes de regar as plantas, prevenindo de queimá-las. Além do húmus, a terra misturada a matéria orgânica também pode ser utilizada como adubo para plantas.

Porém, requer que esta passe um tempo no processamento pelos micro-organismos antes de ser utilizada. Alguns tipos de compostagens recomendam jogar terra ou serra de madeira por cima dos materiais orgânicos, facilitando no processo de decomposição e evitando eventuais mal cheiros, que são quase inexistentes.


Fonte: Homepedia


2. Nos ajuda a conhecer melhor a nossa alimentação e os resíduos que produzimos.


Quando começamos o processo de separação dos materiais orgânicos começamos a entender nossos hábitos alimentares e a quantidade de alimentos que consumimos, assim, sabemos se estamos tendo uma alimentação saudável ou desregulada baseado nesta quantidade produzida.


É importante salientar que nem todos os tipos de alimentos podem ser colocados na composteira, como cítricos e alimentos cozidos. Esse último fato nos leva a termos uma mentalidade mais assertiva quanto aos alimentos que cozinhamos e a atenção para o desperdício, já que estes não podem ser usados como matéria orgânica.

Fonte: Freepik


3. Diminui em 50% o envio de resíduos para os aterros e, por consequência, ajuda na diminuição do efeito estufa.


Segundo dados do IPEA, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o material orgânico corresponde a cerca de 52% do volume total de resíduos produzidos no Brasil e tudo isso vai parar em aterros sanitários, onde são depositados com os demais e não recebem nenhum tipo de tratamento específico.


Ter uma composteira em casa, assim, evita que esses materiais orgânicos sejam destinados para lixões e aterros. Nesses lugares, os lixos acumulados produzem gás metano, extremamente prejudicial ao meio ambiente por conta de sua influência no efeito estufa. No processo de compostagem, a decomposição da matéria orgânica produz apenas CO2, H2O e húmus.


4. Nos proporciona consciência limpa e serve de exemplo para as crianças.


Termos a consciência de que estamos fazendo nossa parte em tentar ajudar o planeta em sua crise ambiental nos dá muita tranquilidade de espírito. Ficarmos atentos para os nossos consumos e os resíduos que produzimos, para a separação de matérias recicláveis, ter uma composteira em casa também está incluído numa mentalidade sustentável.

Além de fazermos a nossa parte, temos que ensinar as crianças, que são o futuro da humanidade a terem consciência ambiental, incentivando-as a cuidar do nosso planeta. Um dos primeiros aprendizados que as crianças devem ter é que nossos recursos são finitos e que os resíduos que produzimos podem causar muitos males ao nosso mundo. Assim, atrelado a reciclagem a compostagem deve ser ensinado como um recurso de preservação do meio ambiente.


O QUE PRECISO PARA FAZER UMA COMPOSTEIRA DOMÉSTICA?

Hoje em dia é muito fácil comprarmos composteiras prontas, mas sabia que você mesmo pode produzir? Uma forma fácil de construir uma composteira simples é com baldes de gordura, geralmente descartados por supermercados ou padarias. Outros tipos de caixas de plásticos também podem ser utilizados.



VOCÊ VAI PRECISAR DE:

  • 03 baldes/caixa de gordura

  • terra

  • minhocas

  • alimentos descartados


COMO FAZER:


1. O primeiro passo é comprar três caixas de plástico. Elas podem ter os seguintes tamanhos: 30 x 40 x 15 cm.


2. Com uma furadeira, faça buraquinhos de aproximadamente meio centímetro de diâmetro em duas das caixas.


3. Em uma das caixas furadas, coloque um pouco de terra e minhocas (cerca de meio litro). É nessa caixa que depois você vai acrescentar o material orgânico úmido (os restos de alimentos). Para facilitar o processo de compostagem é importante que os materiais orgânicos estejam picadinhos, facilitando a produção de húmus, que será armazenada na última caixa.


4. Em seguida, empilhe as três caixas, uma acima da outra. A de baixo é a que não tem furos e deverá ficar vazia. Ela servirá para o escoamento e armazenamento de chorume, líquido formado durante o processo de decomposição do material orgânico (é rico em nutrientes, por isso, não descarte-o, mas use-o também para adubar plantas). A caixa do meio deverá ficar vazia e só será utilizada quando a de cima estiver cheia. A de cima, portanto, é a que contém a terra (a digestora). As minhocas utilizam os buraquinhos para migrar de uma caixa para a outra.


5. Quando a caixa de cima estiver cheia, passe-a para a posição do meio e coloque a que estava no meio em cima.


Fonte: Revista Superinteressante


Dica importante: o composto precisa ser mexido sempre que forem adicionados novos restos de comida. A oxigenação auxilia a ação dos micro-organismos e é importante para evitar o mau cheiro. Além disso, o composto também precisa estar sempre úmido. O teste simples, de pegá-lo com a mão e apertá-lo é suficiente para saber se a umidade está boa o suficiente. Se estiver muito seco, você deverá adicionar um pouco de água ou o próprio chorume que fica na última caixa.


Esperamos ter conseguido te fazer refletir sobre a importâncias e os benefícios de se ter uma compostagem em casa. Compartilhe com seus amigos essas dicas.






Quem escreve: Bárbara de Abreu Freitas


Bárbara de Abreu Freitas é voluntária do São João Lixo Zero. É mestranda em Filosofia pela UFMG e professora de filosofia e sociologia no ensino médio. Busca ser sustentável em sua vida diária e leva essas questões para reflexões em sala de aula. Acredita que pequenas ações fazem grande diferença se praticadas diariamente.



24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo