Queimadas Urbanas e das serras. Por que ocorrem?


imagem: Cícero Augusto Maia


Quantas queimadas todos os anos você já presenciou na Serra de São José ou na Serra do Lenheiro? E quantas outras mais você já viu dentro da cidade, ou sentiu um cheiro forte de queimada mesmo não tendo fogo por perto?


Infelizmente, todos os anos os casos de incêndios, principalmente, no período de seca que vão desde abril até outubro são os meses que há mais índices de focos.


INCÊNDIOS - CAUSAS NATURAIS


Claro que é importante a gente lembrar aqui das aulas de ciências e saber que há sim queimadas por causas naturais, em que a própria natureza lhe causa combustão. Alguns exemplos:


  • Raios: se atingem uma área seca podem ocasionar incêndios

  • Vulcões: não se aplica no Brasil, mas é importante falar

  • Fagulhas: acontecem em áreas secas, de clima árido e semiárido, que contenham vegetação. Com a ajuda do vento e da baixa umidade, elas podem surgir de forma natural (Cerrado é mais comum)


Estes incêndios de cunho natural são bem mais raros de acontecer na nossa cidade comparado aos de causas sob a ação humana.


Imagem: Corpo de Bombeiros de SJDR


INCÊNDIOS - AÇÕES HUMANAS


Como escrever sobre as queimadas ocasionadas pelo ser humano sem ficar injuriada com as diversas situações que a gente nem acredita?!


Decidi dividir dois ambientes distintos que até conversei com o militar Cristiano Giovanni dos Reis, o Cabo Giovanni, assessor do 2º Pelotão Militar do Corpo de Bombeiros da unidade de São João del Rei na nossa live deste domingo,13.


NAS SERRAS DE SÃO JOSÉ E DO LENHEIRO



Imagem: Portal Mais Vertentes


É muito comum, infelizmente, presenciar como dito no início do texto todos os anos queimadas nas nossas serras. Em 2019 foi o ano que teve mais ocorrências! Motivos dos incêndios:


  • o simples prazer do indivíduo em atear fogo propositalmente e se deslumbrar com a queima;

  • bituca de cigarros na vegetação;

  • fogueiras, as pessoas acabam deixando brasas que ainda estão em combustão, sem se atentar quando vão embora após os acampamentos;

  • garrafas de vidro, ou qualquer outros tipo de “lixo”, resíduo que fica para trás que servem como intermeio pra combustão acontecer na mata.


Importante ressaltar que a Serra Lenheiro por exemplo, é um Parque Ecológico Municipal e que na Serra de São José há dois tipos de áreas protegidas, a Área de Proteção Ambiental - APA e o Refúgio de Vida Silvestre - REVS Libélulas da Serra de São José.


CONSEQUÊNCIAS


Um dos maiores danos é para perda de biodiversidade, consequentemente incluindo a fauna e a flora. Muitos animais que só existem na nossa região, como o lobo-guará, além de uma descoberta recente de uma libélula encontrada apenas na Serra de São José na REVS estão sendo constantemente ameaçados por ações descuidadas e pelos incêndios criminosos de alguns seres humanos.


Sem contar a emissão de poluentes, fumaça extremamente tóxica e presença de animais selvagens e ou peçonhentos como cobras, que acabam indo às áreas urbanas e “invadindo” as residências.


NA ÁREA URBANA


Parece brincadeira, mas quando comecei a escrever este texto para vocês, um cheiro bem “suave” de fumaça invadia minha casa fazendo arder minhas narinas, se camuflando ao longo das horas com o ar que respiro normalmente.


“O cheiro de fumaça no período seco não é normal.”

Cristiano Giovanni dos Reis


Nos habituamos tanto com essa situação, que o outono e inverno se tornaram sinônimos das pessoas atearem fogo. O Cabo Giovanni com essa verdade nos faz parar e refletir.


Para as queimadas dentro da cidade, as causas mais comuns delas ocorrerem são:

  • “limpar” lotes vagos de propriedade particular por ser rápido e barato;

  • queimar “lixo” - resíduos - seja no quintal ou lotes vagos/privados;

  • o simples prazer do indivíduo em atear fogo propositalmente e se deslumbrar com a queima - na área urbana também;

  • queimar qualquer coisa no quintal de casa para chamar chuva - essa é uma crendice que ainda existe na nossa região.

O que parece ser solução para quem comete este tipo de crime, sim, esqueci de falar desde o início, mas qualquer ação de queimada com algumas ressalvas - como sempre - é vista como crime de acordo pela Lei de Crimes Ambientais. Apesar do nosso município ter o Código de Posturas de São João del Rei, que permite ao cidadão a queima em sua residência, como há essa lei federal, a nossa automaticamente passa a não valer por motivos técnicos que não cabem aqui no momento. Posso tratar só disso aqui se vocês quiserem, só deixar nos comentários.

Imagem: Portal Mais Vertentes


CONSEQUÊNCIAS


Além da emissão de gases altamente tóxicos, os problemas de saúde são o que ganham em disparados. É nesse período - se recorde comigo - que hospitais e casas de saúde recebem mais queixas de pacientes com falta de ar, asma, bronquite e qualquer outro tipo de doença respiratória. Se não todos, a maioria está ligada diretamente com a fumaça ingerida que não há como evitar nem com a casa fechada se bobear.


Sabe o que é uma das piores coisas que quem comete este tipo de crime não se dá conta, ou, se dá, finge não fazer parte da nossa querida São João del Rei?

Os problemas de saúde como o respiratório são consequências das queimadas. Mexe no cofre público, indiretamente no bolso do cidadão, inclusive no que ateou o fogo.


Não posso esquecer de citar que a ação local contribui para as consequências de âmbito global, a queimada aqui hoje, afeta diretamente o aumento do efeito estufa. Então pense comigo: o que suas atitudes estão causando no Planeta?


COMO DENUNCIAR?


Toda queimada independente de ser na cidade ou na natureza, ligue para o Corpo de Bombeiros, 193 - em hipótese alguma vá parecer um super herói, não tente apagar esse fogo sozinho, é preciso ter técnica e experiência, ok?!


Viu quem começou a queimada e quer denunciar? Ligue 190.

Quer denunciar no anonimato? Ligue 181.


Não deixe as queimadas serem crimes passivos sem as medidas cabíveis. Todos nós saímos no prejuízo. DENUNCIE! É CRIME AMBIENTAL!



Quem escreve: @mmonique_silvaa


Monique Silva é uma das idealizadoras e coordenadoras do SJDR Lixo Zero. É empreendedora no @amordebrechomg,


escreve no Sobrecarga da Moda, é atriz e simpatizante do ativismo ambiental e da moda sustentável, e adora temas voltados à política.


20 visualizações0 comentário