Para onde vão as máscaras que usamos?

Atualizado: Abr 21


Foto: Bárbara Freitas

O uso de máscaras faciais se tornou fundamental na luta contra a covid-19. Se por um lado as máscaras de pano podem ser reutilizadas quando lavadas, as máscaras descartáveis de TNT que só duram algumas horas, são as mais eficientes. No entanto, é preciso se atentar para o descarte dessas máscaras, que podem infectar outras pessoas e poluir ainda mais o meio ambiente. Infelizmente, assim como outros materiais são descartados de forma incorreta, a máscara passou a ser vista nas ruas e nos lixos.


Para além do perigo de contaminação pelo descarte incorreto, depois de vários meses de pandemia, devemos nos preocupar também com a quantidade de lixo gerado pelas máscaras. Segundo uma reportagem feita pelo jornal Brasil de fato “A estimativa da Sociedade Americana de Química é que mensalmente sejam jogadas no lixo 129 bilhões de máscaras e 65 bilhões de luvas em todo o planeta”.


E para onde vai todo esse lixo? Em sua maioria para lixões a céu aberto ou aterros que muitas vezes não são usados de forma correta. Cerca de 50% das cidades brasileiras não possuem aterro sanitário, como no caso de São João del Rei, que mesmo embora se chame de aterro é tratado como um lixão.


Além disso, muitos dos resíduos têm como destino final no mar. Segundo uma reportagem feito pelo Nexo Jornal: “o material usado contra a covid-19 passa do lixo ao fundo do mar, onde pode levar 450 anos para se desfazer”. Assim está mais que claro que devemos parar para pensar como usar nossas máscaras de forma sustentável.


Pensando sobre o uso das máscaras e como elas são descartadas, muitas das vezes de forma incorreta, que o São João del-Rei Lixo Zero convidou o fotocoletivo Estria para produzir a exposição: "Máscaras: Uso, cuidado e descarte”.


Créditos das fotos (Da esquerda para a direita): Thaís Andressa; Nativa projeto; Bárbara Freitas (3 e 4); Silvia Cristina Reis


O fotocoletivo Estria é formado por mulheres de São João del Rei e região, buscando divulgar e pensar coletivamente suas fotografias. A exposição feita em parceria com o SJDR Lixo Zero se deu nos meses de Novembro e Dezembro de 2020, na página do instagram @estria.fotocoletivo e contou com 14 fotos que registraram, entre outras coisas relacionadas às máscaras, seu descarte incorreto nas ruas. Para além de uma exposição, buscou-se despertar a conscientização nas pessoas e a reflexão sobre o tema.


Para ver a exposição completa visite o perfil do fotocoletivo Estria.





Quem escreve: Bárbara de Abreu Freitas


Bárbara de Abreu Freitas é voluntária do São João Lixo Zero. É mestranda em Filosofia pela UFMG e professora de filosofia e sociologia no ensino médio. Busca ser sustentável em sua vida diária e leva essas questões para reflexões em sala de aula. Acredita que pequenas ações fazem grande diferença se praticadas diariamente.







39 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo